ASBC – Impacto ambiental e econômico

Apresentação do projeto  |  Conceitos básicos  |  Estrutura e aplicação
Impacto ambiental e econômico  |  Vídeo-aula  |  Conceitos técnicos
Informações técnicas  |  ASBC e aquecedor solar tradicional
Comparações aquecedor Solar e Elétrico  |  FAQ

Os números apresentados abaixo são o resultado da análise e da associação de dados provenientes de várias fontes, podendo haver discordâncias sobre suas grandezas.
Quaisquer correções, complementações e críticas são bem aceitas.

Uso do chuveiro elétrico no Brasil

Segundo várias fontes, o chuveiro elétrico fica ligado em média cerca de 40 minutos (0,66 horas) por dia, atendendo a uma família média de 3,8 pessoas. A potência média anual do chuveiro é de 5,00 KW. Em um ano, o chuveiro é responsável por um consumo familiar é de (365 dias x 5,0 KW x 0,66 horas) = 1204 KWh. Pode-se estimar com boa segurança que cerca de 40 milhões de famílias usam o chuveiro elétrico para seu banho.

O chuveiro elétrico, tal como ele é hoje, simples, extremamente barato e já bastante seguro, não é o grande vilão do sistema elétrico nacional, como é frequentemente denominado nos meios de comunicação. Se não fosse ele, outros itens estariam sobrecarregando a rede elétrica no período de máximo consumo.

A indústria nacional, ao produzir em massa este equipamento, permitiu que o banho quente chegasse até o brasileiro menos afortunado, fazendo do ato do banho um ato de cidadania, ajudando este brasileiro a sentir-se mais integrado à sociedade da qual ele faz parte.

A isto se soma o conhecido fator de que o banho quente é uma das melhores e mais eficientes formas de reduzir tensões do ser humano, oferecendo um melhor equilíbrio psicológico à nossa população, além do seu benefício mais óbvio, que é de oferecer condições de higiene ideais para evitar a disseminação de uma série de doenças.

Efeito Ambiental - CO2

Cada KWh que deixa de ser consumido no chuveiro elétrico leva à redução de emissão de aproximadamente 0,6 Kg de gás carbônico (CO2) pelas usinas termoelétricas acionadas por gás natural, com a consequente redução da velocidade da acumulação deste gás de efeito estufa na atmosfera terrestre.

Admitindo que pelo menos 75% da energia consumida no chuveiro pode ser substituída pela energia proveniente do sol, então (1204 Kwh/família x 75%). 903 Kwh deixarão de ser consumidos da rede elétrica por família a cada ano. Isto corresponde a uma redução de emissões de CO2 de (903 Kwh x 0,6 Kg de CO2) de 541 Kg de CO2 / ano por família usuária de chuveiro elétrico.

Como somos hoje aproximadamente 40 milhões de famílias usuárias de chuveiros elétricos, o potencial brasileiro de redução de emissões de CO2 pelo uso da energia solar em residências é de (40.000.000 de famílias x 541 Kg CO2) aproximadamente 21.640.000 toneladas de CO2 por ano. (Essa aproximação admite que 100% da energia elétrica seja proveniente de usinas termelétricos, o que não é o caso no Brasil, graças às grandes hidroelétricas disponíveis).

Manutenção das águas das hidroelétricas

Cada KWh que deixa de ser consumido por motivo de economia, leva à manutenção de 7 metros cúbicos de água em nossas represas energéticas. Os volumes que poderão ser economizados são de ordem superlativa. Quem desejar pode fazer as contas.

Efeito sobre a economia familiar

Transformando o consumo elétrico evitado em economia familiar, o ASBC poderá economizar algo como (1204 Kwh por família por ano x 0,75 de eficiência x R$ 0,43 por Kwh cobrado pela distribuidora de energia) R$ 388,00 para cada família média, por ano. Isto resulta num retorno financeiro de 9 meses após início de uso do ASBC, admitindo o seu custo em R$300,00/unidade.

Efeito sobre o sistema elétrico

O chuveiro elétrico, tal como hoje é aplicado, utiliza:
1 – cerca de 10% da demanda nacional de energia.
2 – em horário de pico de consumo (18 h às 21 h), algo como 70% deste pico. Como o pico representa um acréscimo de 34% sobre o consumo médio durante o dia, fica clara a importância da redução do pico, equilibrando o sistema, que não precisaria  ter tal sobre motorização, usada exclusivamente durante o pequeno período do pico.

Na possibilidade de poder eliminar 100% da segunda demanda, que inclui parte da primeira, cerca de 24% da potência de pico demandada atualmente deixaria de existir, permitindo aprazamentos para os investimentos necessários para acompanhar o crescimento da economia.

O valor de usinas que podem ser aprazadas é de cerca de US$ 14 milhões, admitindo-se US$ 1500,00 de investimento em geradoras, linhas e distribuição por Kw instalado.

Efeitos sobre a saúde

(Informações não formalmente comprovadas )
Comenta-se que a água que é tratada com energia luminosa ou térmica solar tem efeitos positivos sobre a saúde, em especial para artrites e reumatismo.

Efeitos econômicos

Admitindo a instalação de 40 milhões de aquecedores solares no decorrer de dez anos, a indústria e comércio nacional terão um faturamento adicional de R$ 12 bilhões, com os consequentes recolhimentos de tributos.

Efeitos sobre a Economia Popular

Admitindo todos os aquecedores instalados, a economia elétrica obtida pelas famílias brasileiras será de R$ 15 milhões/ano, economia esta que se baseia tanto no preço pleno do Kwh residencial quanto na ideia da manutenção do perfil de consumo de água por parte do usuário.

Isto é, ele não deverá ceder à facilidade de gastar mais água quente, cuja energia consumida agora é praticamente gratuita. Mas em gastando mais do que o previsto, o chuveiro elétrico será utilizado mais vezes, reduzindo o efeito econômico e ambiental.

Outros

Em adendo aos 40 milhões de lares que terão a energia de seus chuveiros complementada por aquecedores solares (Tipo ASBC ou outros), existem no Brasil pelo menos mais 3 milhões de habitações ainda não premiadas com a chegada da energia elétrica. Estas habitações também são alvos naturais para a implantação dos ASBCs. O resultado não será econômico, mas o do conforto de um banho com água quente para estas famílias.